quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Duas noites em Frankfurt, Alemanha

Roteiro: Amsterdam (Holanda), Frankfurt (Alemanha), Zurique (Suíça), Innsbruck(Áustria), VenezaFlorença e Roma (Itália).

Por: Adriana Aguiar Ribeiro

Frankfurt não é uma cidade com vocação turística. Mas por ser uma grande capital no meio do caminho do nosso roteiro de trem, não houve motivo para não parar lá.  Constatamos que apesar de ser um centro financeiro, Frankfurt tem história em meio aos arranha-céus. Por isso, se estiver para visitar a capital, inclua em seu roteiro o seguinte:
• Começar a programação pelo Romër, com a fonte da Justiça e Old Nikolai Church. É o que tem de mais alemão na cidade. Em meio aos prédios modernos está uma Alemanha antiga e típica;
• Seguir a pé para a Catedral (Dom), que é datada de antes de 850;
• Ao lado da Catedral está o Jardim Arqueológico, que consta nos guias e tivemos que visitar. No local existem vestígios de um assentamento Romano, no passado. Cumprimos a visita, mas não é nada demais;
• Saindo da Catedral, vale a pena caminhar pelo calçadão – que inspirou o centro de Curitiba e posteriormente, outras cidades pelo Brasil e pelo mundo. Carrocinhas vendem amêndoas carameladas deliciosas e legítimos salsichões e cachorros quentes alemães. No local há um comércio interessante com boutiques e lojas de departamentos;
• Vale a pena atravessar a ponte de aço (Eiserner Steg).

Em nossa visita, apesar de ser primavera, o tempo estava muito frio, com pequena neve caindo constantemente. O tempo desestimulou maiores explorações pela cidade. Apesar de não termos reclamações sobre o lugar, também não temos grandes exaltações. Talvez, se passássemos mais tempo, tivéssemos oportunidade de conhecer melhor a alma da cidade.
Hospedagem: para tornar as coisas mais práticas, fizemos a reserva de nosso hotel nas cercanias da estação de trem central, a Hauptbahnhof, como é comum na Europa. Pois, estando próximos à estação, é meio caminho andado para transportar bagagem de hotel para o trem e vice-versa. Não sei se fizemos a escolha acertada já que a Hauptbahnhof tem um movimento incrível de passageiros e os arredores não são dos mais aconchegantes.

Postagem relacionada: Viajando de trem de Amsterdam a Frankfurt

sábado, 22 de setembro de 2012

Roteiro fácil para visitar a Flórida por conta própria

Por: Adriana Aguiar Ribeiro

Classificação: econômico, para primavera e verão

Fizemos este roteiro para você que quer conhecer algo mais na Flórida, além do batido pacote Miami com praias ou Orlando com Disney.

É necessário apenas uma boa noção de inglês e um espírito aventureiro para cumprir este roteiro. O resto é muita diversão em duas semanas de praia, parques, história, gastronomia e compras!
Na International Drive

1º diaSábado – voo com destino a Miami International Airport (MIA).

2º diaDomingoMiami - chegada a Miami pela manhã. Chegando ao aeroporto internacional de Miami, pegue um shuttle que levará você até o terminal de locação de carros. Com um voucher de carro (com GPS) alugado para duas semanas, previamente no seu país de origem, dirija-se a sua locadora e retire seu carro. Não há necessidade de carteira internacional para dirigir nos USA. Basta a carteira do DETRAN (para o caso de brasileiros).
Tenha em mãos o voucher e endereço da reserva previamente feita para um hotel em Miami Beach ou South Miami, que também é legal. Dirija para o hotel que estará a aproximadamente 30 minutos do aeroporto de Miami.
Neste primeiro dia você provavelmente estará um pouco cansado da viagem, por isso, aproveitar uma praia é sempre um programa relax.

Piratas do Caribe na Disney
3º diaSegunda-feira Miami - Aproveite para fazer qualquer coisa que te dê prazer, como ir à praia, às compras, ao Zoo de Miami (bom programa para quem viaja com crianças) ou andar pela orla em Miami Beach, curtindo o visual da arquitetura Art Deco do local.

4º diaTerça-feiraMiami/Orlando - pós o café da manhã arrume as malas e prepare-se para pegar a estrada. O destino é Orlando. Para chegar lá, recomendo pegar a Turnpike, que é uma via expressa paga, com pedágio, e a forma mais prática e confortável de chegar a Orlando. São aproximadamente 400 km de viagem com providenciais paradas espalhadas pela estrada, que reúnem posto de gasolina, uns quatro restaurantes de comidas diversas e banheiros limpos em cada ponto.   

Loja de tênis na International Drive
Se você optar por almoçar em Orlando, após fazer check-in no hotel (recomendo hospedagem nas  proximidades da International Drive, que é bem central) saia de carro para reconhecimento da Internacional Drive, com almoço no Sizzler (buffet de comida livre – all’u’can eat). Faça um passeio a pé nos arredores do restaurante. A Intl’drive é uma avenida com múltiplas atrações como o Ripley’s, uma casa de cabeça para baixo, lojas malucas, etc.
A noite vale passear no Old Town, rua de lojinhas ao ar livre, localizada em Kissimee (5770 W Irlo Bronson Memorial – route 192), que apresenta muitas atrações, como bump-jump, cart, shows ao vivo e muita diversão.


Haloween no Target
5º diaQuarta-feira Orlando - Hoje é dia de acordar cedo, tomar café da manhã, que pode ser em restaurante de café próximo ao hotel (com o tempo se enjoa do café típico americano – sugiro, com mais variedades e qualidade, o IHOP ou então se pode optar por comprar pão, manteiga, leite, queijo, frutas em um Wal-Mart e fazer o café na cozinha do quarto do hotel, a la brasileira). Saia para um dos parques da Disney – definido previamente. Gosto muito do Epcot Center e do Magic Kingdom – legal para adultos e crianças. Será um programa de dia inteiro. E se sobrar energias, à noite visitem o Premium Outlet da International Drive – shopping ao ar livre com ponta de estoque das melhores lojas americanas. Atenção que tem que verificar o horário dos shoppings que não costumam fechar muito tarde. Se o consumismo bater muito forte na madrugada, optem pelo Wal-Mart que não fecha nunca.

Loja Lego
6º diaQuinta-feira - Orlando - Hoje é um dia bom para ir a um dos parques do Universal Studios. Que tal muita adrenalina no Island of Adventure?  Se sobrar energia, que tal ir ao Pleasure Island para curtir a noite, no Downtown Disney Area?

7º diaSexta-feiraOrlando - Apesar das consecutivas idas aos parques recomendo que hoje ainda seja um dia destinado a eles, já que nos fins de semana, as filas ficam homéricas. Vale a pena visitar um dos parques da Seaworld Entertainment, como o Discovery Cove, o Seaworld ou o Bush Garden.


Nadando golfinhos:Discovery Cove
8º diaSábadoOrlando - Como ninguém é de ferro, hoje é um bom dia para relaxar na piscina do hotel, ou se você tem energia de sobra, ir para um parque aquático divertir-se na água. A tarde vale a pena ir aos shoppings outlet, ou mesmo as lojas de departamentos como o Target, o Best-Buy, ou farmácias da rede Walgreens, etc. Outra boa pedida é ir ao Downtown Disney  Market Place, um aglomerado de lojas também no Downtown Disney Area. Programa grátis, livre de entradas com lojinhas divertidas que reportam ao universo Disney. Aqui tem um Hard Rock Café. Está localizado dentro do complexo Disney.


Parada em Winter Park
9º diaDomingoOrlando/Winter Park/Daytona Beach - Se você deseja continuar conhecendo a Florida, hoje é dia de fazer check-out no hotel e pegar a highway 4-East, em direção a Daytona Beach, costa leste da Flórida. Recomendo almoço no caminho, fazendo uma parada em Winter Park em um dos diversos restaurantes especializados em comida italiana, chinesa, japonesa, tailandesa, entre várias outras. A cidade é uma graça, bem arborizada e encantadora. É um dos destinos favoritos das celebridades americanas. Após o almoço, retome a estrada em direção a Daytona. Feito o check-in no hotel (recomendo hotel a beira-mar, na 1A. Gosto do Sunviking Lodge.), aproveite o entardecer para curtir o por do sol nos arredores do Boardwalk, onde fica o Pier, com teleférico e elevador panorâmico.  Existem muitas lojinhas, cinemas e restaurantes nos arredores do Ocean Walk.
Daytona Beacha
 10º diaSegunda-feira Daytona Beach -  Como este é o primeiro dia em Daytona, vale a pena curtir a praia, pela manhã.  A tarde visite o Ponce Inlet Lighhouse, farol e museu e tenha uma vista espetacular de toda a região.  Não deixe de explorar a área de reserva natural ao redor e o Sea Turtle Rehabilitation, que cuida das tartarugas doentes, seja por ataque de tubarões, ou por engolir um saco plástico, ou embolar-se nas redes dos pescadores.

11º diaTerça-feira Daytona Beach - Daytona combina com praia, todos os dias. E a tarde, com exploração. Que tal conhecer de perto o Daytona International Speedway, uma verdadeira pista de corrida Nascar? Você pode comprar ingressos para o passeio no interior da pista. A lojinha da Nascar é bem legal. Estando por aqui, na W International Speedway Boulevard, não deixe de ir ao comércio nos arredores, que tem Target, Best Buy, K-Mart, Old Navy...  E vale visitar também o Volusia Mall (Aeropostale, Cajun & Café Grill, Dillard’s, JCPenney, Payless Shoes, Sbarro Italian Food, Sears, Victoria Secrets, etc.), também na International Speedway Boulevard.
Nascar Speedway - Daytona

12º diaQuarta-feira Daytona Beach/St. Augustine -Estando em Daytona Beach, uma boa pedida é fazer um passeio de um dia a Saint Augustine. Para chegar lá tome a I-95 North.

13º dia Quinta-feiraDaytona Beach - Um dia mais descansado pede muita praia pela manhã e uma visita ao Flea Market de Daytona Beach, pela parte da tarde. Se você não sabe, um flea market (Mercado de Pulgas) tradicional americano reúne fazendeiros e comerciantes de quinquilharias diversas. É divertido, bom para comprar camisetas, souvenires, malas extras, se você se excedeu nas compras, e ver uma série de coisas diferentes. O Flea Market está localizado saindo da W International Speedway Boulevard, próximo ao viaduto.

14º diaSexta-feira Daytona Beach - Se você é um bom madrugador, pode aproveitar o dia de hoje para aproveitar um pouco mais de Daytona. Pois amanhã será dia de retornar e pegar o voo de volta. Como os voos para a América do Sul costumam sair no entardecer ou à noite, dá para acordar cedo e fazer a viagem de volta para Miami no Sábado. Ou, se você preferir um retorno mais tranquilo, pode viajar até Fort Lauderdale, ou mesmo Miami Beach e pernoitar até o Sábado, dia de sua viagem de retorno.
Banheiros públicos rest area

15º diaSábadoDaytona/Miami - Hoje é dia de voar de volta para casa. Se você optou pela madrugada, saindo de Daytona Beach, tome a rodovia I-95 South, em direção a Miami. A rodovia I-95, ao contrário da Turnpike, é pública, isto é, não é paga. Para parar para banheiro, procure os Rest Areas, áreas de descanso, seguras, que oferecem banheiros e máquinas de bebidas e snacks, ao longo da rodovia. Para restaurantes ou postos de combustível, opte pelas saídas para cidades vizinhas. Na estrada disponibilizam placas informando os restaurantes que serão encontrados nestas saídas. Seu destino é o aeroporto internacional de Miami. Muita atenção ao caminho e uma boa viagem de regresso!

Outros toques:
• Em praticamente todas as cidades nos USA você encontra lojas de departamentos, restaurantes ou farmácias de redes como Walgreens, Target, Wal-Mart, Best Buy, I-Hop, Burger King, Dunkin Donuts, etc. Basta buscar a localização através dos sites.
Entrada do rest area
• Você pode optar por voltar ao seu país através do aeroporto de Orlando, que fica bem mais perto de Daytona do que Miami.
• Para evitar transtornos em sua viagem, obedeça rigorosamente toda a sinalização de trânsito e  respeite sempre o pedestre.
• Em Daytona tem uma loja do Krispy Kreme Doughnuts, que considero os melhores donuts do mundo!

A Florida é muito mais do que tudo isso. Por isso, programe-se para voltar e conhecer muito mais em outra oportunidade!

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Segóvia - Patrimônio da humanidade pela Unesco na Espanha

Alcazar de Segóvia

Na última vez que visitamos Madri decidimos conhecer Segóvia, uma das cidades da comunidade da região da Castilla. A comunidade de Segóvia foi  declarada patrimônio da humanidade pela Unesco. Um título bem merecido.

Saímos bem cedo do hotel e pegamos um trem na estação Madrid – Chamartín.  A viagem durou quase duas horas. Depois descobrimos que poderia ter sido mais rápida, cerca de uma hora, se pegássemos o trem bala, pagando um pouco mais. Mas valeu a pena assim mesmo, pois o trajeto até Segóvia tem paisagens lindas e permite conhecer um pouco do interior da Espanha.

Chegando na estação de Segóvia, tomamos um ônibus até a entrada da Cidade Velha. Entrar nesta parte da cidade é algo encantado, que remonta o período medieval. As construções de pedra datam de aproximadamente 1.400 d.c. ou menos. É tudo muito bem conservado, com jardins floridos e praças arborizadas. As construções intactas.
Catedral de Segóvia

Nosso objetivo era conhecer:
• O Alcázar de Segóvia,  um palácio fortificado em pedra, localizado na Cidade Velha. Descobrimos um monumento impressionantemente erguido sobre um penhasco, com fosso, ponte elevadiça e tudo que o imaginário dos contos de fadas permite. De acordo com informações no Castelo, o Alcázar foi inicialmente construído como uma fortaleza, mas serviu, desde então, como palácio Real,  depois como prisão do Estado, como Colégio Real de Artilharia e posteriormente, como academia militar. Atualmente está aberto a visitação pública;
• A catedral de Segóvia, uma catedral gótica construída entre 1525 e 1577, no período do Renascimento.  Os detalhes bordados em suas torres são lindos.
• O Aqueduto também era um de nossos objetivos. Mas este ficou para outra viagem. Não deu tempo...

Pois Segóvia é envolvente. Uma vez lá, a gente anda devagarzinho, contemplando e admirando cada prédio, cada cantinho, cada jardim. E tem que fazer paradas para o café, para os lanches deliciosos. E assim um dia voou. De uma forma deliciosa! Na volta, tínhamos pouco tempo para tomar o trem, então pegamos um táxi  que nos levou de volta até a estação.

Por: Adriana Aguiar Ribeiro
Se você gostou desta matéria, com certeza gostará também de Madri e seus encanto , A Barcelona de Gaudí e Roteiro Portugal e Espanha.

sábado, 15 de setembro de 2012

Aplicativos para Viagem

 
 
Com contribuições preciosas de Gillian Márcia da Silva e Emanuele Lazzaretti Campelo
 
City maps2go
Hoje em dia programar uma viagem ficou cada vez mais fácil. Isso devido a toda a ajuda oferecida pela internet. Antigamente, tínhamos que estudar as viagens nos livros e guias, escassamente oferecidos no mercado. Quem, da década de 80 para baixo, não se lembra dos guias Frommer’s impressos? E do gasto em mapas que fazíamos ao chegar a cada destino?
Voos Online

Com o surgimento dos primeiros sites de viagens na internet, as coisas começaram a ficar mais fáceis. E hoje em dia está tudo a mão, virtualmente. E melhor ainda, em equipamentos portáteis como os tablets, telefones celulares e gadgets em geral, que permitem um sem fim de acesso a aplicativos (app) incríveis, onde os passageiros encontram uma infinidade de informações como: conversão de moedas, mapas, informações sobre hotéis, restaurantes, museus, parques... Tudo isso com detalhes tão precisos como localização, hora de abertura e encerramento das atrações, preços, história, etc. E você viaja com essas informações eletrônicas na mala, podendo acessá-las a qualquer momento, já que a maioria dos aplicativos, uma vez baixados, funciona off-line. Por isso, o Viajando com Puny de hoje traz alguns aplicativos muito úteis para viagens. Confira abaixo:

Os preferidos do editorial são:
• City Maps 2 go – tem mapas muito completos da maioria das cidades do mundo, com outras informações a respeito dos atrativos turísticos, gastronomia e hospedagem dos destinos – funciona bem na Apple e Android. Não testamos em outros sistemas;
• Triposo - tem mapas da maioria das cidades do mundo, com informações muito detalhadas a respeito dos atrativos turísticos, gastronomia e hospedagem dos destinos – funciona bem na Apple e Android. Não testamos em outros sistemas;
 Voo+ - Informa horários de partida e chegada e rota de voos de aproximadamente 16.200 aeroportos ao redor do mundo – Apple
E uma infinidade de outros apps, muito legais, incluem estes que mencionamos:
• Tourist Language – um tradutor prático de palavras e frases básicas utilizadas em situações do dia-a-dia, em trens, ônibus, hotéis, restaurantes, etc. – funciona no Android;
• Voos online – é da Infraero, tem os voos que saem e chegam aos aeroportos brasileiros. É simples, mas funciona legal. – testado no sistema Apple;
• Trip Advisor – para checar a classificação dos restaurantes, meios de hospedagem e atrações turísticas. – popular na maioria dos sistemas;
• Currency – para converter moedas é bem pratico;
• Lista de viagem – é simples: você adiciona os itens da mala, coloca o roteiro e ele lança direto na sua agenda;
• Trip Advisor City guides – É bem pártico, tem mapas, restaurantes, atrações. Parecido com o citymaps2go e o triposo;

Alguns apps com recomendações pela internet, mas ainda não conferidos:
• Cashpointer – dizem que traz o banco ou casa de câmbio mais próxima de onde você está;
• All subway, My trains, Metr0 – mapas de metro;
• The Weather Channel – Previsão do tempo;
• Wi-Fi Finder – Informações sobre pontos com Wi-Fi disponíveis.
 
 Agora é só baixar e testar as novidades oferecidas. Se você tiver mais sugestões, envie-nos.
Um abraço,
Do editorial de Viajando com Puny

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Mistérios dos Fiordes Chilenos

Vinho para entender
Ao meio-dia

Muitas vezes não sabemos exatamente o que encontraremos pela frente antes de partirmos para um destino. Isso aconteceu quando decidimos conhecer os Fiordes Chilenos. Imaginávamos uma profusão de fauna, já que passaríamos por lá em pleno verão. Mas, durante um dia e meio de navegação atravessando uma região repleta de ilhas, canais, baías e estreitos, pouco vimos sinais de vida. Uma ave aqui, outra ali. Buscávamos ávidos, com os binóculos, sinais de baleias, golfinhos e outros seres aquáticos. Encontramos apenas um silêncio profundo no meio de paisagens maravilhosas, algumas vezes soturnas. Em alguns trechos o frio, a neve e a escuridão combinavam com uma boa taça de vinho a bordo. Visões que calaram profundo a alma. Belezas intrínsecas ao fim do mundo.  E isso foi em pleno verão! Sem palavras, posto aqui as fotos. 


Sem palavras

Informações práticas: Os fiordes estendem-se para o sul da América do Sul, em Tierra Del Fuego, pertencendo algumas vezes ao território chileno, outras vezes ao argentino. A viagem aos fiordes chilenos deve ser feita de navio e no período de verão, quando o tempo está mais propício à navegação, para aquelas bandas do Pacífico. Navios saem de Valparaíso em roteiros que passam pelos fiordes. Durante a viagem chegamos a pegar tempestades com ondas de até 12 metros, mas no fim, valeu muito a pena!
Leia sobre diversos outros destinos no Chile clicando aqui.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Viajar para Mangaratiba para ver o Minotauros Campeão!


Fotógrafo: Danillo Tinoco
Sábado (01) e Domingo (02) passado foram dias de disputa de futebol americano em Mangaratiba. A cidade foi palco do Torneio de Futebol Americano de areia, que aconteceu na Praia do Saco. Os jogos, que tiveram início no Sábado pela manhã, contaram com a participação de quatro times, sendo que a final foi disputada no Domingo à tarde entre o time da casa, o Mangaratiba Megalodons e o RJ Minotauros, equipe de futebol americano de praia da capital fluminense, que treina na praia do Flamengo. O Head Coach Felipe Fernandes (Lipe) conduziu o time as finais, quando a equipe do Minotauros não teve dificuldade em sagrar-se campeã levando o troféu, após uma vitória de 21 x 0 no jogo final, em cima do Megalodons. O jogador JP (João Paulo Nascimento) destacou-se como safety no terceiro quarto do jogo.  Mesmo estando contundido, fez 3 interceptações em cima do adversário. Estrearam neste torneio os jogadores Rocha (Léo Siqueira) e Mano (Vitor Goia). Parabéns ao Minotauros por mais esta vitória!


Praia de Mangaratiba

O que existe de turístico em Mangaratiba é apenas a paisagem. A cidade tem bonitas praias, cercadas de verde, mas não vai além disso. A maioria das praias é imprópria para banho. A infraestrutura turística na cidade deixa a desejar. A oferta de hotéis e restaurantes é escassa e precária. A cidade não está preparada adequadamente para receber turistas.

A grande atração é o portão de entrada para Ilha Grande, que é o porto de catamarãs, que saem às 8h da manhã, diariamente, em uma viagem de aproximadamente 2h com destino a ilha. Em Mangaratiba existem estacionamentos pagos, para abrigar o carro dos turistas que se dirigem a ilha por alguns dias.  A Pousada da Vovó Corina é um lugar bem aconchegante, porém raramente se consegue vaga, devido à alta ocupação pelas empresas que trabalham na região. Um bom negócio é utilizar o estacionamento deles para deixar o carro e ir a Ilha Grande. Negócio honesto. Telefone: (21) 2789-1064 – Sra. Nelma Lopes.