sábado, 30 de novembro de 2013

Letônia, pérola do Báltico!

Parte de Three Brothers
Por: Adriana Aguiar Ribeiro

Minha vizinha Agnese, da Letônia (Lativia), não acreditou quando eu disse que ia visitar Riga, a capital do seu país. Ela disse: “Mas ninguém vai à Letônia!”. Muito menos acreditou que eu estava estudando o idioma local, para ser simpática com os nativos.

Pois fui. Não era um sonho ou algo programado. Acontece que a Letônia, assim como a Estônia, estava no meu roteiro de navio pelo mar Báltico. Por isso, tive que pesquisar para aproveitar ao máximo meu dia na cidade. Não foi difícil encontrar informações. E a localização do porto onde atracam os navios de cruzeiros facilitou tudo. Fica a poucos passos do centro histórico – Old Riga -, que é a parte mais bonita da cidade.
Blackheads House

Chegamos muito cedo. Sete horas da manhã foi o horário aproximado do nosso desembarque. A ansiedade por conhecer os lugares nos fazia encontrar cidades desertas, com as portas do comércio ainda fechadas. Mas isso adicionava certa graça e encantamento ao passeio. A falta do movimento de gente permitia apreciar a beleza inerte dos locais por onde passávamos.

Começamos nossa visita passando pelo Castelo de Riga, pela praça, por Three Brothers, três casas da idade média, e seguindo em direção a Catedral Dome. A arquitetura dos edifícios é rica, com estilos variados como o neogótico e o classicismo. A Igreja de St. Petters é digna de visita. É um dos monumentos medievais  mais antigos da região Báltica e em                                         
Riqueza nos detalhes arquitetônicos
1997 tornou-se patrimônio da UNESCO. Mas o que mais me impressionou pela beleza e ornamentação do prédio foi Blackheads House, com estrutura original construída no século XIV.

Passear pelas ruas de Riga repletas de flores e detalhes arquitetônicos foi um encantamento. Visitamos um supermercado e provamos os deliciosos e famosos pães locais. Riga é famosa também pelo âmbar, extraído do fundo do mar báltico. Comprei para a minha sobrinha de meses um colarzinho, pois li que o âmbar tem poderes analgésicos e calmantes para os bebês, na fase da primeira dentição. Não conseguimos tempo para visitar o Museu de Ocupação Latívia. Ficará para outra viagem, quem sabe? Pois Riga é um desses lugares onde a gente quer poder voltar um dia!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!