segunda-feira, 21 de abril de 2014

A bordo do avião


Por: Adriana Aguiar Ribeiro
Parece óbvio o assunto que vou tratar neste post. Mas apesar de muitas pessoas estarem acostumadas a viajar para lá e para cá, sempre existe a primeira vez para qualquer um. Principalmente para os mais jovens, que estão iniciando-se nas experiências da vida.

Por isso, vou falar da viagem de avião. Mais especificamente do período que se passa a bordo!
 
Existem diferenças entre o voo doméstico e o voo internacional:

Voo doméstico

São os voos que ocorrem dentro de um país. Em geral são mais rápidos, pois cobrem distâncias mais curtas. Permitem um limite de bagagem menor que os voos internacionais. Utilizam aeronaves de tamanho menor, por isso são mais sujeitos as turbulências. E, dependendo da companhia aérea, a maioria deles cobra pela refeição a bordo.

Voo internacional

São os voos que ultrapassam fronteiras de países. Em geral cobrem longas distâncias e têm regras diferentes dos voos domésticos, referente ao limite de bagagem e a alimentação a bordo.
Se o voo é intercontinental (da América do Sul para América do Norte, ou para a Europa, ou outros continentes, por exemplo) normalmente as distâncias a percorrer costumam durar um tempo aproximado de dez horas ou bem mais, ou um pouco menos.

E você se pergunta: o que vou fazer durante este tempo todo dentro de um avião?

Para viagens longas devemos criar uma rotina a bordo. Se a viagem é noturna, fica mais fácil para aqueles que dormem em qualquer lugar. Pois se o voo sai à noite, após aproximadamente uma hora da decolagem será servido o jantar. Até todo o ritual da refeição ter terminado, já se foram umas duas horas e meia de voo, considerando que após comer você vai ao toalete, escova os dentes e se prepara para dormir. Se você consegue dormir umas sete horas de sono no voo, considere-se um felizardo pois, ao despertar, já estará bem próximo ao seu destino. E provavelmente o café da manhã já estará sendo servido. Após o café, nova visita ao toalete, escovar dentes, etc. e você já pode começar a organizar suas coisas para a chegada.
 
Mas, e se você não consegue dormir durante o voo? Não se desespere, pois há uma série de atividades que você pode fazer para passar o tempo.

O que fazer durante uma longa viagem

• Bons amigos do passageiro são os livros, as revistas e o tablet ou netbook. Acesso à internet durante os voos ainda é coisa um pouco restrita;
• A maioria dos voos oferece uma boa seleção de filmes. Muitas aeronaves têm televisão com tela individual para cada passageiro;
• Cada assento proporciona também uma seleção de aproximadamente dez canais de músicas diversas;
• Caminhadas esporádicas pelos corredores fazem bem para a saúde e ajudam a passar o tempo;
• Em caso de sede você pode solicitar água através do botão que chama os atendentes. Mas na maioria das vezes eles estão ocupados e podem não ver seu chamado. Por isso, vale levantar-se e dirigir-se a cozinha que pode ficar nos fundos da aeronave, ou no meio. A cozinha da frente serve normalmente para a primeira classe e classe executiva. Se o(a) comissário(a) for simpático(a), ainda dá para bater papo;
• Nos voos mais longos, independente de ser dia ou noite, os tripulantes criam um ambiente propício ao relax para os passageiros. Após a primeira refeição, costumam fechar as janelas, simulando noite dentro da aeronave. Aproveite para relaxar neste momento;
• Em geral, perto da chegada ao destino, a tripulação distribuirá para preenchimento dos passageiros  os formulários de imigração e alfandegário. Lembre-se de, após o preenchimento, voltar a guardar o seu passaporte em lugar seguro.

Comendo a bordo

• Normalmente as refeições servidas nos voos internacionais estão incluídas na tarifa cobrada;
• O que vai ser servido a bordo depende de cada companhia aérea e da classe na qual você viaja. As companhias europeias ainda costumam servir bebida alcoólica como cortesia. As americanas usam cobrar bebidas alcoólicas a parte. Vale a pena perguntar para saber. Na classe executiva e primeira classe o cardápio, assim como as acomodações, é diferenciado da classe econômica;
• Em geral existem dois tipos de refeições, que podem variar entre carne de boi ou frango, arroz ou massas, etc. O almoço ou jantar costuma oferecer, além do prato principal, uma pequena salada, uma sobremesa, algum pão ou biscoito, com manteiga ou creme de queijo. O café da manhã varia muito de companhia para companhia. Em todas refeições costuma ter água, café, chá, leite, refrigerantes e sucos;
• Se a viagem é curta, com menos de quatro horas de voo, dependendo da companhia aérea pode ser servido apenas um lanche com sanduíche, nos voos internacionais;
• Se você tiver sede poderá ir a cozinha pedir água. Algumas companhias servem também café, suco ou refrigerante, fora do horário da refeição. Tudo depende da negociação com o comissário.
 

Dicas:

• Antes de chegar ao seu destino verifique se não deixou nenhum pertence nos bolsos em frente a sua poltrona (como livros, óculos, etc.);
• Ao utilizar o toalete procure deixá-lo seco e arrumado para o próximo passageiro;
• Lave sempre bem as mãos com água e sabão. Aeronaves, assim como navios, por confinarem muitas pessoas em um ambiente pequeno são propícias a proliferação de bactérias;
• Dentro do voo internacional costuma acontecer a venda de bordo. Para conhecer os itens oferecidos, consulte o livro de free-shop que fica acondicionado no bolso da poltrona a sua frente;
• Caso você se interesse pela revista de bordo, que também fica no bolso da poltrona a sua frente, pode levá-la. É cortesia da companhia aérea;
• É expressamente proibido fumar dentro das aeronaves. Os banheiros têm sensores de fumaça!
• Leve a bordo uma nécessaire com itens básicos como hidratante para as mãos, escova e pasta de dente e algum medicamento necessário;
• Verifique se fechou bem o compartimento de bagagens onde guardou seus pertences, evitando que o mesmo abra durante o voo.
• Leia aqui as regras da ANAC para saber sobre o que é permitido na bagagem de mão;

Independentemente da sua disposição a bordo, o importante é saber que voar é sempre uma novidade. No avião você tem chance de conhecer pessoas interessantes, histórias pitorescas e no fim sempre chegará a destinos diferentes. Por isso, aproveite essa oportunidade do começo ao fim!

domingo, 13 de abril de 2014

Encomendas de viagem

Por: Adriana Aguiar Ribeiro
 
Quando você viaja pela primeira ou pela segunda vez, tudo é novidade e você nem percebe uma coisa: o inconveniente das famosas encomendas da família e dos amigos. Mas com o tempo você descobre que isso pode ser um grande empecilho para você curtir como deve o seu passeio.

O mais difícil é explicar isso para quem aproveita sua ida a determinados lugares para fazer as "encomendinhas", muitas vezes deixando você mal com o amigo ou familiar. Aí você entra em uma tremenda saia justa! Mas saiba que você não é o único a passar por isso... Como vai lidar com a situação é uma coisa muito pessoal. Depende de cada um!

Por isso, listo aqui alguns argumentos:

• Quando você está viajando, qualquer peso extra na bagagem soma como peso morto a carregar;
• Muitas vezes você não consegue ir ao lugar onde encontrará o objeto solicitado e fica se preocupando pensando se o encontrará em outro lugar. Quando férias é o momento de relaxar, de não ter preocupações;
• Quando você traz encomendas, aumenta a sua responsabilidade sobre a bagagem que está carregando;
• Se você faz uma viagem de lazer, seu tempo é muito precioso, por isso deve ser todo voltado ao relaxamento;
• Muitas vezes você não quer habilitar o cartão de crédito e as pessoas fazem pedidos sem se preocupar em adiantar o dinheiro para você;
• Quando você aceita trazer encomendas de várias pessoas, você pode acabar comprometendo o valor da cota permitida para os produtos importados;
• Certos pedidos sozinhos são tão despropositados que comprometeriam a sua cota total de produtos importados permitidos a trazer;
• Quem pede alguma coisa sempre imagina que é a única pessoa encomendando algo ao viajante. Quando muitas pessoas pensam assim e você acaba com uma longa lista de solicitações.

Por isso, para quem costuma fazer encomendas, recomendo que evite ao máximo pedir alguma coisa a quem vai viajar. É uma questão de bom senso. Afinal a pessoa está saindo para se divertir! Só aceite mesmo quando o viajante (que deve ser muito íntimo – tipo filho ou pai e mãe) oferecer trazer algum produto que você não encontra de jeito nenhum no Brasil e que tenha embalagens de tamanho mínimo. Avise sempre que não precisa se procurar com aquilo. Só deve ser comprado caso o viajante esteja no local onde o produto é facilmente achado. Ah, e lembre-se de adiantar o valor em cash, na moeda local de onde será comprado o tal produto. Mas bom mesmo é não pedir nada ao viajante!

Um toque: algumas pessoas viajam com o objetivo estrito de consumir, mas é bom também cultivar outros hábitos ao viajar. Acima de tudo, a viagem é uma forma de adquirir mais conhecimento e cultura, além de permitir o relaxamento e lazer. Tudo bem se a gente descobre coisas incríveis e diferentes para comprar, mas é bom evitar que tenhamos apenas esse objetivo e lembrar que na vida existem coisas muito mais saudáveis a fazer!