segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Sugestão de roteiro nos Estados Unidos e Canadá

O roteiro foi realizado em setembro com dias amenos e ensolarados em praticamente todo percurso

Você só tem duas semanas de férias e quer otimizar seu tempo e dinheiro? Pois aqui vai uma sugestão de roteiro bem bacana para visitar New York City (NYC), no estado de New York e de quebra mais três cidades dos Estados Unidos e duas do Canadá, gastando menos dinheiro do que o esperado: passe alguns dias em Nova York e embarque em um cruzeiro saindo de Cape Liberty, no estado de New Jersey, vizinho a Big Apple, com destino ao Novo Canadá.
NYC: cidade que nunca para
Nossa equipe experimentou e adorou! Como os preços praticados em NYC tem estado impraticáveis em matéria de hospedagem e alimentação, optamos por passar cinco dias na cidade e partimos rumo as lindas paisagens do norte da América.
Dia 1 - Rio, Brasil -  Saímos do Brasil em um sábado a noite, voando diretamente para NYC - aeroporto JFK .

Dia 2 - New York City, NY, USA - chegamos pela manhã do Domingo. Pegamos um transfer pela VIATOR (barato e funcionou perfeitamente) que nos levou diretamente para um hotel da rede Holliday Inn Express. Early check-in rápido, uma cortesia matinal maravilhosa para quem voou aproximadamente dez horas até o destino. Aproveitamos para tomar uma ducha e descansar até aproximadamente meio-dia.
Refeitos da viagem aproveitamos o Domingo para explorar a área próxima ao hotel, nos arredores de Times Square.
NYC: Domingo no Bryant Park
Fomos direto saber o que tem de bom no Hell's Kitchen Market, mercado das pulgas tradicional em
NYC que funciona aos Sábados e Domingos e reúne grande quantidade de barracas vendendo desde antiguidades, artesanatos a quinquilharias diversas. Dali seguimos para um Dean & Deluca, para um snack no coração da Big Apple. Rodamos pelo centro da cidade, com destaque para a visita a Biblioteca Pública anexa ao Bryant Park. A visita em um dia de Domingo foi muito acertada, pois além de proporcionar um delicioso passeio pelo lindo parque e pelo grandioso prédio de uma biblioteca com um acervo riquíssimo e muito bem organizado, pudemos observar os nova-iorquinos em seus hábitos de fim de semana: relaxando no parque, pegando livros na biblioteca, tomando sorvete e comendo hot-dogs. Outra nota é para o banheiro público do parque. Seria digno de
NYC:  Upper West Side
destaque no post Banheiros pelo Mundo, deste blog. Um banheiro bem arrumado, quase de luxo, onde a limpeza era a prioridade máxima de sua tomadora de conta. Além disso, grátis. Desnecessário comentar que a fila do banheiro feminino era constante. Nada é perfeito: contava com apenas quatro cabines.  
Dia 3 - NYC, USA - Foi dedicado ao Upper West Side, passando pelo History Natural Museum, Central Park, Metropolitan Museum, Zoo do Central Park, pela área do Upper East Side e um almoço no Sarabeth's. E acredite se quiser, ainda sobrou tempo para irmos a final do US Open de Tennis!
Dia 4 - NYC, USA - Visita ao Memorial do Wolrd Trade Center (Torres Gêmeas), com igreja de St. Paul, que serviu como base para todos que trabalharam nos resgates do atentado de 11 de setembro de 2001. Área portuária com vista para Estátua da Liberdade, que agora está toda revitalizada e amiga do pedestre e dos ciclistas. Não poderíamos deixar de ir a 46th St., rua dos brasileiros, com seus restaurantes.

NYC: pelo Soho
Dia 5 - NYC, USA - Visita ao High Line, Chelsea Market, Chinatown, Little Italy, Soho... Todos passeios cruzando, em certos momentos, a Quinta Avenida e a Broadway. O tempo foi curto, confesso. Queria ter dado uma passada no MOMA, quem sabe ter ido a um espetáculo... Sorte nossa que não somos aficionados por compras. Mas da boa gastronomia não abrimos mão. Em um próximo post dedicado a NYC, relatarei com detalhes nossos percursos, as atrações visitadas e o roteiro gastronômico.
Dia 6 - NYC/Cape Liberty, USA - Neste dia utilizamos um cab (táxi privado) para nos deslocar ao estado de New Jersey, onde está localizado Cape Liberty, de onde saiu nosso navio de cruzeiro rumo ao norte do continente, navegando pelo Oceano Atlântico. O roteiro dura nove noites e para em cinco cidades como descrito a seguir.
Dia 7 - Navegação - Imprescindível um dia de navegação para recobrar o fôlego e as energias gastas na cidade que
Portland: lagostas
não para nunca. Pois NYC é frenética! Neste dia aproveitamos para dormir até mais tarde, tomar um café da manhã longo, ler no bar mirante do navio, de onde se tem uma vista ampla do oceano. Não existe coisa mais relaxante para mim. Cada um tem seus gostos, eu sei. Um dia de navegação, que pode parecer entediante para alguns, é algo revigorante para mim.
Dia 8 - Portland, Maine, USA - Finalmente atracamos na terra da lagosta, dos alces e do blueberry (frutinhas azuis com alto nível de antioxidante). Ainda cedo encontramos a cidade semi-adormecida. Como sempre, a pé exploramos tudo que havia por explorar. Portland é uma cidadezinha charmosa a beira mar, enfeitada por seus barcos coloridos atracados num cais pontuado por inúmeros restaurantes de frutos do mar. Não poderíamos deixar de comer uma lagosta. Inteira! Retornamos ao navio de onde jantamos admirando o por do sol e a cidade que ficava para trás.
Bar Harbor: porto de chegada
Dia 9 - Bar Harbor, Maine, USA - Cedo a preguiça de viajante cedeu a curiosidade de conhecer mais um lugarejo do estado do Maine. Não vale a pena perder tempo em viagens. Pois aquele dia poderá ser único na vida. Não esperava tanto deslumbramento no desembarque em Bar Harbor. Por motivos ambientais o navio não atraca. Ancora no mar e somos conduzidos a terra por um barco auxiliar. Os dedos não conseguem parar de clicar diante de tanta beleza na cidade que abriga o Acadia National Park. Bar Harbor é dessas cidades encantadoras, de onde se avista sempre um mar azul forte, assim como Búzios (RJ). Voltaria lá e recomendo! Comemos mais lagosta, não preciso nem dizer.
St. John: mercado municipal sortido
Dia 10 - St. John, NB, Canadá - Se pegar visto para os USA dá trabalho, multiplique este trabalho por dois para calcular como é tirar visto para o Canadá. Mas para desembarcar no país era preciso. Ainda precisamos madrugar para passar na imigração ainda dentro do navio. Mas valeu tudo a pena. E desembarcamos em St. John. Uma cidade muito florida, limpa e bonita. Pequena, fácil de percorrer. Algumas bonitas igrejas, mercados, praças e cais que merecem uma visita. Ah, sim, ainda comemos lagosta. Retornamos ao navio a tardinha, de onde mais uma vez nos despedimos saudosos do nosso último destino, para retomar a vida suave que envolve a navegação. Mais uma noite de espetáculo no teatro, boa comida no restaurante, a amizade dos passageiros e tripulação, lojas de free-shop, músicas ao vivo, dança e enfim, cabine para o descanso merecido.
Halifax: Public Gardens
Dia 11 - Halifax, NS, Canadá - Halifax é um pouco maior. Mais quilômetros para caminhar. O lindo Public Gardens com jardins floridos a perfeição para se admirar. O forte de Halifax, uma visita cultural. A galeria de arte moderna com a incrível obra de Maud Lewis, que mesmo diante de tantas adversidades e de uma paisagem branca invernal, só enxergava cores, luz e beleza em suas obras. O cais do porto com quilômetros de belezas por onde um turista se extasia por todo o percurso. Ah, e o museu do Titanic. Pois foi a alguns quilômetros desta costa que o Titanic afundou. Medo!
Retornando ao nosso porto seguro, nosso navio casa, declinamos o prato principal do jantar: lagosta!
Boston: charme por todos os cantos
Dia 12 - Navegação - finalmente, após quatro paradas intensas, um dia para repor as energias, se dedicar a leitura, as grandes apresentações da pista de patinação no gelo, a caminhada no deque apreciando a infinidade do oceano, ao jacuzzi para esquentar o clima frio canadense e a boa gastronomia a mesa... Navegar é preciso!
Dia 13 - Boston, Massachussets, USA - de volta aos Estados Unidos. Nova madrugada, novo processo de imigração para reentrar no país. Tudo feito dentro do navio. Navio atracado. Porto moderno, cidade grande, limpa, organizada. Um dia deu para conhecer muito da cidade. Pois Boston é chamada de cidade "walkable" (propícia para andar). E optamos por seguir a Freedom Trail,  com aproximadamente quatro quilômetros de trilha marcada por tijolos vermelhos que levam o turista por bairros históricos,
Navegação: perfeito para relaxar
igrejas (nunca vi uma cidade com tantas igrejas nos USA como Boston), mercado popular, pracinhas, ruas de comércio, para culminar no Boston Common e no Public Gardens, um parque e um jardim botânico, um ao lado do outro. Foi tão intenso que não deu nem tempo de respirar. Pois a cidade tira o fôlego de qualquer um, diante de tanta beleza por todos os lados. Gente bonita, prédios ricos em detalhe, parques muito verdes, cafés charmosos e gostosos e tudo muito limpo e organizado. Nossa primeira visita a cidade, deixou o desejo de retornar um dia!
Dia 14 - Navegação - perfeito poder navegar. Dormir um pouco mais, café com calma, leituras, arrumar malas, confraternizar com a tripulação que ficará no navio, enquanto seguiremos nossos caminhos. Nosso destino final é o nosso porto de embarque, Cape Liberty, em New Jersey. Enviamos
De volta a Big Apple
um what's app ao motorista do cab que nos levou de NYC até o porto. Santa tecnologia! Não havia venda de transfer no navio levando de Cape Liberty até o aeroporto JFK.
Dia 15 - Cape Liberty / Bairro de Jamaica, USA - (onde fica o aeroporto JFK) - optamos pelo self-checkout, desembarcando levando nossas próprias malas. Essa é a vantagem de viajar leve: uma mala pequena por passageiro! Após o café da manhã, despedimo-nos da vida a bordo. No porto logo encontramos Jimmy, nosso pontual motorista, que nos levaria até um hotel Best Western, para uma pausa até a noite. Deixamos a bagagem e o próprio Jimmy nos deu uma "carona" até o Green Acres Mall, shopping no bairro de Jamaica, próximo ao aeroporto JFK, em NYC, que tem algumas boas lojas e restaurantes americanos como o Target, Best Buy, Macy's, Oldy Navy, Applebees, entre muitos outros. Pela noite pegamos nosso voo direto de volta para o Rio de Janeiro, Brasil.
Dia 16 - Rio de Janeiro - Depois de tantas aventuras chegamos no Domingo, em segurança ao Brasil, com a alegria de poder reencontrar a família.  

Notas:  

  • O cruzeiro de 9 noites tem destino ao Novo Canadá e só acontece nos meses de agosto e setembro, período quente de verão, que não tem grande risco de geleiras. É pela companhia Royal Caribbean;
  • Outros posts serão publicados no blog detalhando os roteiros e atrações visitadas em todas as cidades do percurso.







sexta-feira, 26 de setembro de 2014

O que fazer em Daytona Beach, Flórida

Águas claras, propícias ao banho

Daytona Beach está localizada na costa leste da Flórida e é banhada pelo oceano Atlântico. 

O grande destaque em Daytona Beach são os quilômetros, ou melhor, milhas, de lindas praias de areia dura, por onde carros circulam. Sim, o acesso de carros é permitido a beira mar, tudo na mais estrita ordem, ao modo americano. E os castelos de areia tomam as melhores formas a beira de um mar de águas claras e propícias ao banho. Pela praia existem atrações diversas como parasail, quadriciclos para aluguel, pranchas de surf e de body board, entre outras. Os visitantes mais frequentes na cidade são provenientes da América do Norte, principalmente com turistas do interior dos Estados Unidos e do Canadá. A claridade do lugar é especial. O clima é quente. Muito quente no verão! O melhor lugar para se divertir é bem perto da água.
Atlantic Avenue

Além de todo encanto da costa, Daytona Beach é um lugar de muitas opções para viajantes em grupo, em família e os que estão fazendo um passeio romântico. Fora da beira mar você poderá se divertir na área central da Main Street, onde ficam localizados os grandes hotéis, em frente ao tradicional Pier, que tem elevador panorâmico e teleférico. A área é muito animada, com jovens frequentadores, bons restaurantes, salas de cinema, salas de jogos eletrônicos e toda parafernália que anima as praias das costas do hemisfério norte. Ainda na Main St. estão localizados muitos restaurantes, lojas de acessórios, roupas, muitas delas voltadas para quem curte motociclismo. Pois Daytona, entre muitos eventos, recebe o Bike Week e o Biketoberfest, que são dois grandiosos eventos que reúnem milhares de motociclistas e suas maravilhosas motos.
Ponce Inlet
Cristais usados no farol em outras épocas

Saindo da área central, ao longo da avenida costeira (a Atlantic Ave. – A1A), existem muitas atrações como os tradicionais campinhos de golf, bem ornamentados que valem até fotos! Seguindo pela Atlantic Ave. direção sul, vale a pena percorrer umas dez milhas desde Main Street para visitar Ponce Inlet Lighhouse, com o farol e o museu. Se estiver disposto suba algumas centenas de degraus para no topo do farol ter uma vista espetacular de toda a região.  Não deixe de explorar a área de reserva natural ao redor, com uma bonita restinga com pontes de madeira facilitando o acesso à mata e o Sea Turtle Rehabilitation, que cuida das tartarugas marinhas doentes, seja por ataque de tubarões, ou por engolir saco plástico, ou por embolar-se nas redes dos pescadores. Se você não sabe, Daytona Beach é uma importante área de desova de tartarugas marinhas. Nos períodos de desova facilmente se encontra ninhos de tartaruga a beira mar, cuidadosamente isolados com fitas de atenção e placas alertando o cuidado necessário, sendo o infrator sujeito a penalidade legal! Os hotéis não acendem as luzes de suas varandas voltadas para a praia, evitando que as tartaruguinhas se confundam no seu caminho de volta ao mar.
International Speedway

São muitos pontos importantes em Daytona e merece grande destaque a famosa Daytona International Speedway, que sedia as corridas de Nascar. É possível comprar ingressos para fazer o passeio no interior da pista. A lojinha que vende produtos da Nascar é bem legal. Nos arredores da W International Speedway Boulevard está localizado um bom comércio com lojas como a Target, o Best Buy, K-Mart, Old Navy, Bed, Bath and Beyond e o Volusia Mall que abriga lojas e restaurantes como a Aeropostale, Cajun & Café Grill, Dillard’s, JCPenney, Payless Shoes, Sbarro Italian Food, Sears, Victoria Secrets, Footlocker, Applebees, etc.
Mirante sobre a restinga local

O centro da cidade, Downtown Daytona Beach, também merece atenção com seus calçadões, comércio de lojinhas e restaurantes, a fábrica de chocolate e o porto a beira rio com barcos que saem em excursões pelo Halifax River, onde se encontra uma diversidade de aves e uma extraordinária riqueza, inclusive o aclamado manatee (peixe boi) que vive no rio. Vale a pena fazer o passeio!

E porque não aproveitar a proximidade para passar um dia em Saint Augustine, vizinha cidade histórica, única com colonização espanhola nos Estados Unidos. O caminho a tomar é a I-95 North. Ou pode optar também por fazer um passeio de meio dia até Cabo Canaveral, viajando pela I-95 South. Se tiver tempo, opte pelos dois programas.
International Speedway Boulevard

Outro programa legal em Daytona Beach é o Flea Market. Se você não sabe, um flea market (mercado de pulgas) tradicional americano reúne fazendeiros e comerciantes de quinquilharias diversas. É divertido, bom para comprar camisetas, souvenires e malas extras, caso você tenha se excedido nas compras. Além de encontrar uma gama de gente e coisas diferentes. O Flea Market de Daytona é bem grande, um dos mais importantes da região do Orange County. Está localizado saindo da W International Speedway Boulevard, próximo ao viaduto.

Daytona Beach está localizada na costa leste dos Estados Unidos, no estado da Flórida, bem na direção de Orlando, que fica na área central do estado. Para chegar a Daytona, saindo desde Orlando, tome a highway 4-East. Quem sai de Miami, deve pegar a rodovia federal I-95 North.

Outros toques:

A praia é um programa diário

• Em praticamente todas as cidades nos USA você encontra lojas de departamentos, restaurantes ou farmácias de redes como Walgreens, Target, Wal-Mart, Best Buy, I-Hop, Burger King, Dunkin Donuts, etc. Não seria diferente em Daytona;
• Você pode optar por chegar e sair de Daytona pelo aeroporto de Orlando, que fica bem mais perto de Daytona do que Miami;
• Se você vem de Orlando, recomendo uma parada na cidadezinha de Winter Park, que fica no caminho;
• Em Daytona tem uma loja do Krispy Kreme Doughnuts, que considero os melhores donuts do mundo!
• Para evitar transtornos em sua viagem, obedeça rigorosamente toda a sinalização de trânsito e respeite sempre o pedestre.
Este blog não costuma dar muitas dicas de hotéis. Mas em Daytona, recomendamos um hotel bem familiar, onde se sente bem aconchegado: Sunviking Lodge. Como muitos hotéis de Daytona, está localizado a beira mar.

Visite também Roteiro para visitar a Flórida.
Clique aqui e veja todos os roteiros para a Flórida.