sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Fazendo a mala para viajar

 Desapegue da bagagem e viaje leve!

 
Bolsa básica para toda hora e lugar
Se você é dessas pessoas que leva a casa dentro da mala quando vai viajar, talvez seja melhor rever seus conceitos. Pois em termos de bagagem, menos é sempre mais. Viajar leve é uma recomendação pra lá de amiga. Esquecendo aquele velho ditado de que se conselho fosse bom... Acredite: bagagem micro é viagem maxi!
 
Cada vez que arrumo a mala para uma viagem longa ou curta, exercito a filosofia de me vestir bem levando pouca roupa. E a conclusão que tenho chegado é: abuse dos acessórios, para viajar leve!
 
Os acessórios podem ser os curingas dentro da mala. Na última viagem de cinco dias para lugar de clima ameno, cheguei ao ponto de levar uma mala com uma calça, duas blusas de manga curta, um suéter de cachemira, duas echarpes, três cintos, uma sapatilha, roupa de dormir, peças íntimas e um saquinho pequeno com brincos. Viajei com uma calça jeans, tênis, blusa e casaco, mais acessórios como cinto, brincos, colar e pulseira. Observe que os maiores volumes (tênis e casaco) vão no corpo. Tudo bem que o tênis não é o sapato mais glamoroso, mas depois de algumas horas de viagens e conexões, o corpo agradece o conforto.
 
Versatilidade  nos básicos: abuse dos acessórios
O segredo da mala leve é saber escolher peças básicas que, compostas com os acessórios, mudarão de cara e farão várias versões. Exemplo: uma calça branca poderá ficar bem com uma camiseta preta. Mudará de cara com uma echarpe de seda. Essa mesma camiseta preta, com calça preta e um cinto de onça e acessórios dourados se apresentará como um novo visual. E essa calça preta ficará muito bem com uma camisa jeans. Esse look poderá ser transformado com uma echarpe colorida... A camisa jeans poderá fazer uma composição bacana sobre uma camiseta branca e uma calça branca. A ideia é essa: compor diversos arranjos partindo de peças básicas e acessórios bonitos. Mas calma lá! Não vá exagerar levando quilos de acessórios. O segredo é saber escolher os acessórios também básicos. Isso é muito pessoal. Gosto de brincos de pérolas, que caem bem de dia e de noite, com dourado e prateado, com preto e branco, azul marinho, coloridos, etc.
 
Para a bagagem: mulheres, levem uma bolsa básica, de preferência de tamanho médio, que servirá tanto para o dia como para a noite. Para os homens, uma mochila pode ser útil. Para viagens de até uma semana, leve uma mala de bordo. Para viagens mais longas, tanto para lugares frios ou quentes, uma mala pequena deverá ser sempre suficiente. Se a viagem vai durar mais que vinte dias, comece a lavar as roupas. Há sempre lavadoras e secadoras nos hotéis dos Estados Unidos e você pode pagar tanto em hotéis como em navios para ter alguma roupa lavada. E lembre-se também que sempre se compra alguma coisa nova nas viagens. Por isso, se necessário use o que comprar ou compre o que faltar.
 
Uma peça vira várias composições
Para o inverno do hemisfério norte um bom casaco é o suficiente.  E esse casaco já vai no corpo. E na maioria das vezes você vai a lugares diferentes. Não está na sua cidade, onde encontrará as mesmas pessoas, o pessoal do trabalho, diariamente. Você não é conhecido fora de casa, por isso não precisa se portar como uma celebridade. Não se importará tanto ao repetir as roupas.
 
 A nécessaire é um problema que venho tentando reduzir na medida do possível. Explico: pessoas com cabelos curtos ou lisos, podem se dar ao luxo de usar xampu e condicionador do hotel ou um shampoo com condicionador, embalagem única. Já no caso dos cabelos cacheados e secos, precisa-se levar uns produtos extras, que aumentam o peso da mala. Mas a ideia é tentar evitar levar produtos desnecessários, reduzir o tamanho das embalagens e desapegar, que aliás, é a prática mais necessária na hora de fazer a mala. Afinal não dá para levar o guarda-roupa. E não vale a pena mesmo!
 
Quando você tem uma viagem de cruzeiro no meio da sua viagem pode ficar tentado a encher a mala de roupas fashion. Compreendo. Mas não pratico. Na última viagem de vinte três dias para o verão do alto hemisfério norte - temperaturas mínimas de 10 graus - levei os seguinte itens, incluindo a roupa do corpo e considerando que não uso salto alto - segue um exemplo de mala feminina:
  • Calça branca é curinga
    3 calças jeans (preta, branca e indigo)
  • 1 legging preta para caminhar
  • 8 blusas (mangas curtas e três quartos)
  • 1 saia preta
  • 3 vestidos
  • peças íntimas (meias, calcinhas, soutiens - isso é pessoal, mas lembre-se que dá para lavar tudo. Por isso não exagere em nada.)
  • 1 short pijama, 2 blusas pijama (essas peças são fáceis de lavar) - por mais frio ou quente que seja o país, hotéis em geral têm calefação e ar condicionado.
  • 1 tênis
  • 1 sapatilha preta
  • 1 sapatilha clara
  • 1 biquíni
  • 3 cintos
  • 4 echarpes
  • alguns brincos, pulseiras e colares
  • 1 casaquinho ou blazer preto
  • 1 sandália havaiana
Procure levar objetos pequenos
Para quem viaja leve, isso é muita roupa. Mas cabe bem folgada em uma mala pequena. Sobrando espaço para trazer comprinhas. Entre as blusas havia duas de renda que serviram bem a noite com saia ou com calça. Outras blusas serviram para o dia e também para a noite. O cruzeiro durou 9 noites. Todas as roupas foram usadas, mas não foi necessário lavar nenhuma (com exceção das peças íntimas), já que o clima foi ameno. Durante a viagem foi adquirida uma camisa jeans e uma blusa de cachemira marfim. Tudo foi usado já que o frio apertou mais para o norte. Deu para se vestir bem durante toda a viagem. Mas se você não vai fazer um cruzeiro, pode reduzir a mala toda pela metade. Esse foi o exemplo de uma mala super completa.
 
Observe que as três calças compridas multiplicadas pelas oito blusas viraram vinte e quatro composições. Que somadas a riqueza dos acessórios, mudaram de cara a cada uso. A saia preta, multiplicada por umas quatro blusas, rendeu uns quatro visuais de noite elegantes. Mais três vestidos,
Aposte nos acessórios
e outras noitadas em confortáveis jeans com blusas básicas e acessórios elegantes, se transformaram em tempos de muita diversão. Sem muito peso ou volume a carregar.

Já em uma viagem no inverno mais rigoroso, troque as blusas de manga comprida por manga longa, de lã, linha ou cachemira - lembrando que nunca deve levar aquelas blusas grossas de lã, a menos que você vá para um lugar que não tenha infraestrutura para frio - e umas duas malhas de manga curta, para os dias mais quentes. Tire os vestidos e casaquinhos da bagagem e aposte em um único bom casaco. Básico, que vai com tudo, mais um blazer que pode ser preto. Leve algumas echarpes, muito úteis no frio.

Para malas de verão, troque duas calças por dois shorts. As blusas por camisetas. Mantenha os vestidos e acrescente os biquínis. Sempre procurando reduzir. Se a viagem vai durar 15 dias, retire um terço do conteúdo. Para 10 dias, reduza mais o conteúdo. Para um feriado apenas, volte lá no início do texto e reveja o conteúdo de uma mala leve.

Vamos falar das compras também. Não é preciso comprar o mundo quando se viaja. Preste atenção, pois com esse mundo globalizado, tem muita coisa que você compra lá fora e encontra na lojinha de
Mala de bordo para viagens de até 10 dias
quinquilharias na esquina do bairro. Igualzinho! Quem nunca passou por isso? E na verdade, na ânsia de comprar, se perde um tempo precioso que poderia ser gasto conhecendo os lugares, as pessoas, as comidas... Enfim, se deixa de ganhar cultura. Bem muito precioso, que é para sempre! Muito mais rico que itens materiais, que tem tempo de vida limitado.

Ah, outra dica é como arrumar a mala: você pode optar por aqueles sacos que tem o ar sugado, vendidos em lojas de malas e artigos para casa, mas acho prático fazer rolinhos com as peças e ir acomodando pela mala.
 
Outros itens necessários são o celular e/ou máquina fotográfica, óculos escuros - leve apenas um, utensílios de socorro básico como tesourinha, lixa de unha, agulha, etc, que podem ser úteis. Mas não exagere aumentando o volume da bagagem com itens que TALVEZ sejam usados. Tem coisas que na eventual necessidade se compra... Ou se empresta, no hotel. Não dispensamos na mala da equipe de um saca-rolhas, com abridor de garrafas, que proporciona festinhas noturnas com bons vinhos e cervejas, às vezes no quarto, na varanda ou mezanino do hotel. Nem abrimos mão de um bom livro para as viagens nem de cadeados para fechar as malas nos voos e nos hotéis que porventura não tenham cofre. Jamais leve duas bolsas para "variar". Leve uma bolsa perfeita que vá bem em todas situações.
 
E o mais importante nisso tudo, que já mencionamos em outros posts deste blog, é a utilidade de estar leve e ágil para se locomover durante a viagem. Seja nas conexões aéreas, nos transfers entre cidades, embarques em navios, nas viagens de trens, quanto menos bagagem você tiver, mais livre se sentirá. E quanto mais livre, mais feliz. Pense nisso e adira você também a esta ideia!