sábado, 28 de fevereiro de 2015

Mal das Alturas - Cusco e Puno, Peru

Machu Picchu - Foto: Lia Crespo
Olá! Gostaria de chamar a atenção para um problema que não temos muito conhecimento, mas que rendeu muita preocupação na minha última viagem. Estava no Peru com uma amiga e o passeio incluía cidades de altitude elevada, 3400m Cusco e 3900m Puno.
Vocês já ouviram falar da doença das alturas? Ela afeta grande parte das pessoas que visitam locais de altitude elevada, mas em intensidades diferentes.  Quando estamos em locais muito altos, o nível de O2 no nosso organismo pode baixar a ponto de causar sérios danos! Em alguns casos mais graves, lesões cerebrais e cardíacas podem ocorrer. Eu não tive grandes problemas, apenas dores de cabeça e alterações na pressão arterial, que foram embora no segundo dia. Mas minha amiga teve insuficiência respiratória e um edema pulmonar. Os sintomas começaram com uma tosse seca insistente que achávamos que era uma gripe, seguida de muito cansaço.
Finalmente curada
Em Cusco acionamos o seguro e fomos atendidas com muita eficiência em uma clínica especializada, a Medical Network . A recomendação dos médicos foi que ela retornasse ao nível do mar, depois de dois dias em observação na clínica. Como tratamento para melhorar a hidratação das extremidades e a oxigenação, ela passou uma hora numa câmara hiperbárica. Precisou fazer muitos exames de sangue, eletrocardiogramas, tomou soro, antibióticos, diuréticos... O seguro providenciou as passagens (para nós duas mais um médico que nos acompanhou) e ela ficou com um cilindro de oxigênio até que chegássemos a um hospital em Lima para que ela fosse reavaliada e constatassem que ela estava bem.
Veja abaixo algumas recomendações do serviço médico que nos atendeu, para quem pretende  viajar para lugares altos:
• consultar um médico antes de viajar
• não viajar com anemia
• dormir bem, não viajar cansado
• não fazer grandes esforços, nem consumir bebidas alcoólicas e comer comidas leves no primeiro dia nas cidades altas
• não tomar chá de coca ou alimentos com cafeína pois aumentam ainda mais a pressão arterial
• descansar muito no primeiro dia de viagem (e antes)
• ao primeiro sintoma buscar o serviço médico
Graças a Deus voltamos ao nível do mar e pudemos seguir viagem. A Minha amiga ainda ficou alguns dias tomando medicamentos, mas ficou tudo bem.
Dica de viagem: nunca viaje sem um seguro de saúde. Eles não custam muito caro e podem nos salvar nesses imprevistos.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Buenos Aires - o centro da cidade


Casa Rosada - Sede do Governo Argentino

A calle Florida é um calçadão repleto de comércio bem atraente, com lojas que vendem principalmente couro e cashemere de boa qualidade, abrindo normalmente das 10h às 19h. Para mim, o ponto alto deste passeio é uma visita ao shopping  Galerias Pacífico , para um café ou um sorvete na Heladeria Freddo.  A arquitetura do prédio, muito rica, é de origem francesa, de 1945 e  conserva o glamour dos áureos tempos. Como na maioria das capitais, fique de olho nos seus pertences, principalmente ao passear pelo calçadão.

A Plaza de Mayo é o centro da vida política de Buenos Aires. É assim chamada devido a Revolução de Maio de 1810, que deu início ao processo de independência das colônias da região sul, na América do Sul. No entorno da Plaza de Mayo fica a sede do governo argentino, a Casa Rosada – uma bandeira hasteada indica a presença do presidente –, a bonita Catedral Metropolitana e o Cabildo Histórico. Na praça tem início a Avenida de Maio, palco dos grandes manifestos portenhos.  Todas às vezes que estivemos na Avenida de Maio, encontramos a rua repleta de manifestantes organizados por alguma causa.  Estando pela avenida, não deixe de parar para um café no local preferido de Carlos Gardel. Inaugurado em 1858, o Café Tortoni é visita obrigatória para quem gosta de charme e história. 

Lugar importante também é o Obelisco, situado no cruzamento da Av. Corrientes, com a Av. 9 de Julho. É um dos cartões postais da cidade. Se você gosta de literatura, não deixe de visitar as livrarias e cafés literários localizados na Av. Corrientes, desde o Obelisco até o número 1.700, com uma infinidade de bons livros e algumas excelentes pechinchas.

Existem bons hotéis nas proximidades da Av. 9 de Julho e Calle Florida.

Leia mais sobre Buenos Aires e cidades da região do rio da Plata, clicando aqui.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Das vantagens de viajar de navio

Diversão para todas idades
Dá para notar pelas matérias do blog que somos adeptos das viagens de navio. Na verdade, a cada viagem planejada, pesquisamos se há alguma rota de cruzeiro interessante e com preço acessível. Pois um cruzeiro inserido no meio de uma viagem pode, muitas vezes, baratear o roteiro, além de apresentar inúmeras vantagens.

Ouço muita gente, que nunca viajou de navio, comentar que acha que se sentiria claustrofóbico ou entediado em um navio. Mas nunca ouvi alguém que tenha viajado recentemente em um cruzeiro, que diga que não gostou. Outra das objeções dos viajantes é que de navio não se conhece nada do lugar.
Por isso, nesta matéria vamos esclarecer tantos mal entendidos a respeito desta modalidade de viagem.

• Antes de tudo, de navio, se ganha tempo. Para quem trabalha e tem pouco tempo disponível de férias, os cruzeiros possibilitam conhecer vários destinos, com mais conforto, em pouco tempo.
Parque verde em plena navegação

• Os desembarques permitem ao turista conhecer bem os destinos. Para aqueles que sustentam que nas paradas de aproximadamente um dia no destino não se conhece nada, observamos o seguinte: imagine um roteiro terrestre, numa viagem para passar os três primeiros dias em um lugar. O primeiro dia será gasto com o deslocamento, com check-in no hotel e reconhecer o local com o tempo que resta. O segundo dia será livre para realmente conhecer o lugar. No terceiro dia, após o café da manhã, normalmente se faz o check-out  para iniciar a viagem para o próximo destino. De navio no primeiro dia ocorre o embarque, quando se curte a piscina, a academia e outros esportes, shows de música, Karaokê, Cassino, os espetáculos de teatro noturnos, refeições de alta qualidade ao longo do dia e muitas outras opções. Enquanto dorme, o passageiro viaja para algum destino. Com todo conforto de um hotel de categoria. No segundo dia, cedo ocorre o desembarque no ponto turístico de destino, onde o passageiro terá o dia inteiro para visitar atrações, restaurantes e conhecer a cultura local, podendo retornar ao navio a qualquer hora para um
Diversidade de restaurantes a bordo
banho, refeição ou descanso usufruindo de todo conforto. No terceiro dia, que seria o dia de arrumar malas, passar por todo o estresse de pegar um transporte para um aeroporto ou estação de ônibus ou trem, e fazer uma viagem para o próximo destino, provavelmente o navio estará atracando em outra cidade, ou pelo menos navegando com destino a outro lugar;

• Relaxamento é um fator fundamental para quem está de férias. De navio, por não ter que empacotar a bagagem, providenciar transfers e passar pelo inconveniente das longas viagens, que são feitas enquanto você dorme, o descanso é consequência.

• O cruzeiro pode ser algo realmente econômico se você souber pesquisar um bom roteiro a um bom preço. Pois o pacote do navio inclui em um só valor o transporte pelo roteiro pretendido, a hospedagem, a alimentação e o entretenimento. E, dependendo da companhia de navegação escolhida, o passageiro usufrui de atendimento de alta qualidade, gastronomia internacional e atrações musicais e espetáculos de renome;
Esportes radicais

• Alguns destinos podem ter mais de um dia de atracação. Pode acontecer de um roteiro prover mais de um dia atracado em uma cidade. Já vivenciamos esta experiência em Buenos Aires, Estocolmo, São Petersburgo... O que permitiu passeios mais extensos.

• De navio evita-se o fazer e desfazer de malas e o estresse dos transfers, enquanto se visita vários destinos;

• Em um cruzeiro se conhece gente de diversos lugares, enquanto se diverte. Para aqueles que gostam de interagir com diversas culturas, essa é uma boa chance;

• Sente-se seguro, já que as companhias cuidam bem de seus passageiros. Quando estamos longe de casa, é bom sentir-se seguro;

Vida noturna
• Os navios modernos proveem um sem fim de atividades para os passageiros, sendo impossível sentir-se entediado durante a viagem. Muitas vezes, em navios grandes, com roteiros de sete dias, não conseguimos conhecer todas as dependências ou atrações do navio;

• Como sentir-se claustrofóbico se a qualquer momento, do convés, o passageiro pode olhar para o horizonte (infinito)?

• Come-se muito bem, com culinária de todo o mundo. Alimentar-se bem durante a viagem é importante para manter a saúde do passageiro.

• Conhecer um lugar, por um dia, permite ao passageiro saber se vai querer voltar ali outras vezes. Alguns destinos são sonhados, mas com uma visita desmistifica-se o lugar. Quantas vezes imaginamos que gostaríamos de passar muitos dias em um destino, para com uma viagem de cruzeiro aprendermos que não precisaremos mais voltar ali.
Piscinas temáticas

• A tudo isso se soma a magia de chegar aos destinos pela água. Cada nascer e pôr de sol são diferentes um do outro e costuma ser sensacional curti-los no mar. Há a possibilidade de ver vida marinha, como baleias, golfinhos entre outros animais aquáticos. E também avista-se muitas aves diferentes.

• Independente de viajar em cabine interna, externa, com varanda, os servidos oferecidos para todos os passageiros costuma ser o mesmo.

Isso não quer dizer que temos que viajar de navio todas às vezes. Devemos optar pelo navio quando eles estiverem ao alcance dos nossos destinos e do nosso bolso. Pois quem gosta de viajar sabe muito bem que economia é importante. Pois só assim, conseguimos nos organizar para que sobrem recursos para viajarmos mais!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Bate e volta em Birmingham, Inglaterra


Estivemos em Birmingham, a segunda maior cidade da Inglaterra, para visitar um familiar. Foi viagem de um dia, bate e volta desde Londres. O pouco que vimos nos revelou uma cidade cosmopolita, grande, organizada e simpática. Repleta de casas geminadas construídas em tijolinho vermelho, a cidade nos despertou o interesse de conhecê-la com mais detalhe. 

Para uma próxima visita pesquisamos nossos interesses em Birmingham:

• Birmingham Back to Backs – no coração da cidade, trata-se de um conjunto de prédios históricos revitalizados e abertos ao público para visitação com objetos, móveis, roupas e artigos variados que remontam a vida industrial da cidade há aproximadamente 130 anos;

• Winterbourne House and Garden – localizada a poucos minutos do centro de Birmingham, está estabelecida em aproximadamente sete acres. A residência Winterbourne é uma atração única: com arquitetura do esplendoroso período Eduardiano (1901) a casa foi totalmente restaurada. Seu jardim, considerado uma joia, conta com mais de 6000 espécies de plantas provenientes de todo o mundo. É um lugar perfeito para o passeio, relaxamento e tranquilidade. A Ponte Japonesa de 1930 é uma das maiores atrações do local.

• Biblioteca de Birmingham – a biblioteca pública nova e moderna, considerada uma das maiores do mundo, tem um riquíssimo acervo. Dica: suba de elevador até o jardim, no topo da biblioteca, e vá descendo pelas escadas rolantes para conhecer todo o acervo.

Curiosidades: Birmingham é também conhecida como berço de algumas bandas de rock, algumas muito influentes do heavy metal como Black Sabbah, Duran Duran, Judas Priest e The Moody Blues.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Palermo, Itália - Caminhos do Mediterrâneo

Elegante Via Roma
Aportamos em Palermo, cidade do extremo sul da Itália, na região da Sicília. Nossos objetivos: tomar um cappuccino acompanhado de um típico doce italiano, visitar o Mercado de Ballaro e conhecer alguns importantes pontos históricos da cidade.

Palermo tem uma infinidade de igrejas e monumentos, mas devido ao curto tempo imposto pela parada de um dia do navio, escolhemos atrações próximas ao porto de desembarque: Quattro Canti (Piazza Vigliana), Fontana Pretoria e a Catedral di Palermo.
Desembarcamos cedo e seguimos pela elegante Via Roma. Assombrosamente velha! Foi a ideia que tivemos de Palermo. Mas com um quê de encanto. Afinal é a Itália e, como sempre na Itália, tudo tem uns “cinquecento anni” (quinhentos anos) ou mais. 
Quattro Canti
Entramos na Via Vittorio Emanuele e seguimos direto para a Piazza Vigliana, conhecida por  Quattro Canti. Foi uma encomenda do vice-rei, em 1608, para emoldurar o cruzamento das principais avenidas da época: a via Maqueda e a Vittorio. As quatro esquinas são compostas por prédios em estilo barroco, representando o leste, oeste, norte e sul. Praticamente idênticos todos têm três estátuas e uma fonte.  Cada uma das três estátuas representa uma estação do ano (primavera, verão, outono e inverno), um rei da região da Sicília (Charles V, Philip II, Philip IV e Philip III), e uma das padroeiras de Palermo (Cristina, Ninga, Olivia e Agata). Na época de sua construção foi considerado um dos primeiros exemplos de urbanismo na Europa.
Piazza Pretoria

Logo ao lado de Quattro Canti está a Piazza Pretoria, onde fica a bonita Fontana Pretoria, construída em Florença em 1554, mas transferida para a Praça Pretoria no ano de 1581. Seguindo ainda na Via Vittorio, mais adiante está a Catedral de Palermo. Grandiosa é a melhor expressão para defini-la. Datada de 1185, sua arquitetura sofreu diversas alterações ao longo dos séculos, com influências variadas como a
bizantina, barroca e gótica. A última grande alteração aconteceu no fim do século XVIII, quando o interior da catedral foi completamente alterado.
Tutti delizioso!

Paramos em uma pequena cafeteria  para cumprir nosso objetivo gastronômico. Dentre tantos doces, escolhemos um maravilhoso canudo recheado com creme, que escorria pelos cantos da boca. Para acompanhar um verdadeiro Cappuccino Italiano. Água mineral para reidratar. Tutti delizioso!! 
Cores do Mediterrâneo

Refeitos, seguimos em direção a uma das melhores partes da cidade: o Mercado de rua de Ballaro, que não decepcionou nem um pouquinho! Um mercado de rua como qualquer outro, mas com um diferencial: as cores e variedades dos produtos mediterrâneos. Os tomates de um vermelho profundo. A profusão de temperos relacionados às massas e seus molhos. Os azeites mais diversos possíveis. Os cheiros inigualáveis no ar. Tudo encantador aos olhos e ao paladar. E, somado a isso, a gritaria e gesticulação natural dos italianos da região da Sicilia. Sim, estamos mesmo na Itália!


domingo, 8 de fevereiro de 2015

Pomaire, pequena vila no Chile

Pelas ruas de Pomaire
Pomaire é uma pequena vila localizada a aproximadamente 60km a oeste de Santiago do Chile. Sua aparência é simples, assim como seu povo simpático. A população local é de aproximadamente 10.000 habitantes, em sua maioria de origem indígena. A história local remonta o período pré-colombiano.
O que faz de Pomaire um lugar surpreendente é a grande produção de peças de cerâmica, uma tradição indígena, que produz desde copos, potes, pratos, vasilhas, vasos, tudo elaborado em argila assada, uma verdadeira obra de arte. Os trabalhos podem ser adquiridos a um bom preço nas diversas lojinhas espalhadas pela rua principal.
A gastronomia local também é algo que chama atenção: além de pratos típicos chilenos, a tradicional empanada chilena com recheio de carne, ovo cozido e uva passa,  aqui é produzida com peso avantajado, algo próximo a meio quilo.



É fácil chegar lá de ônibus, saindo da Estação Central de Santiago do Chile.
Nota: na maioria dos restaurantes chilenos costumam servir o delicio pastel de choclo (bolo salgado de milho recheado com carne, ovo cozido,  etc.) em travessas produzidas em Pomaire.

Leia sobre diversos outros destinos no Chile clicando aqui.

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Zapallar, Chile - Balneário de casas elegantes

Restaurante a beira mar
Zapallar, um agradável balneário turístico da costa chilena, está localizada a aproximadamente 57 km de Viña Del Mar. Suas praias, a Chica e a Larga, banhadas pelo Oceano Pacífico, têm uma faixa de areia extensa e são ladeadas por morros arborizados. Suas casas são elegantes, uma característica do lugar. Os jardins são bem cuidados, um primor. O calçadão de pedra, que interliga as praias é um convite ao passeio.

Passamos por lá primeiro em 1993, uma noite de inverno, para uma animada festa com amigos. Estávamos hospedados na vizinha praia de Cachagüa. Como não tivemos oportunidade de conhecer a simpática cidade de Zapallar, durante o dia, voltamos lá em outra oportunidade.
Quando estivemos no Chile na primavera, alguns anos depois, aproveitamos para visitar Zapallar novamente. Desta vez, com dia claro! Fomos a um simpático restaurante a beira mar, onde comemos uma deliciosa refeição com frutos do mar, desfrutando da vista maravilhosa para a praia. A limpeza do lugar nos impressionou. O serviço de limpeza pública coava a areia da praia! Como o clima ainda estava ameno, não tomamos banho de mar. Mas a beleza do lugar compensou o frio. Se tivermos oportunidade, voltaremos mais vezes à este balneário tão aconchegante!

Leia sobre diversos outros destinos no Chile clicando aqui.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Carnaval no Rio de Janeiro, Brasil

Por: Vitória Paiva

Preparativos para a curtição
O carnaval está chegando! Felicidade, ânimo e tranquilidade para alguns... Você já escolheu seu destino para relaxar e/ou curtir o carnaval? Atendendo pedido da Puny, eu vim dar uma dica para quem gosta de folia e agitação nesta época. Particularmente, nunca havia curtido (e nem gostava) um bom carnaval até o ano passado, quando fui para o Rio de Janeiro, a Cidade Maravilhosa. Não fui ao Sambódromo e nem curti o famoso bloco Cordão do Bola Preta. Mas fui para a Zona Sul prestigiar seus maravilhosos blocos! Apesar de ter ficado na Barra da Tijuca, lado oposto da cidade, valeu muito a pena! Comprei alguns adereços, peguei um celular velhinho para levar (dica!), uma doleira e lá fomos nós (eu e meus amigos)!
As dicas abaixo são de (alguns) blocos que fui. Mas a agenda completa com a data, local e hora de todos os blocos está disponível aqui. A dica é ir de ônibus (como foi meu caso) ou metrô. As ruas ficam entupidas de gente!
E o Rio de Janeiro continua lindo...
Banda de Ipanema é um tradicional bloco que desfila pelas ruas de Ipanema e tem 50 anos de história e tradição. A banda, composta por cerca de 70 músicos, toca marchinhas e sambas. Eu adorei! Porém é lotado: estima-se a presença de 90 mil foliões no dia 14/02/15, às 17h30min, na Praça General Osório.
Simpatia é quase amor reúne nada menos do que 150 mil foliões. Foi fundado em 1985 por um grupo ligado ao movimento Diretas Já e à torcida do Flamengo. Teve também o falecido Bussunda como rei momo. O bloco sai da Praça General Osório, em Ipanema, no próximo dia 15/02 às 16h.

Sargento Pimenta: avalio como um dos melhores blocos que conheci! O ritmo nada mais é do que Beatles, porém num ritmo carnavalesco contagiante. Confesso que me surpreendi! O bloco é parado e fica no Aterro do Flamengo. Gostei muito, mas achei super cheio (andar é quase impossível) e com poucos banheiros para suportar a quantidade de pessoas. O interessante é que este ano o Sargento Pimenta vai homenagear os 50 anos do single "Help". O bloco está marcado para a segunda-feira de carnaval, 16/02, das 15h às 19h.

Entre amigos
Como não dá pra descrever todos que blocos que frequentei, vou deixar os nomes de alguns dos mais conhecidos para sugestão: Empolga às 9 (Ipanema), Bloco da Favorita (São Conrado), Trio Ternura (Barra da Tijuca), Carmelitas (Santa Teresa), Suvaco do Cristo (Jardim Botânico), Monobloco (Centro), Toca Rauuul (Centro), Orquestra Voadora (Aterro do Flamengo), Thriller Elétrico (Vila Isabel) e Me beija que sou cineasta (Gávea). Ah, quem quiser pode pegar uma praia também, é claro!
A dica (meio óbvia, né?) está dada. E você? Tem alguma dica de lugar para passar o carnaval? Compartilhe conosco deixando seu comentário! Contagem regressiva! O difícil será voltar na quinta-feira... Bom carnaval a todos!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Shepherds Bush – bom para hospedagem em Londres


Burburinho na praça

O bairro de Shepherds Bush é originalmente residencial. Mas tem como ponto central o Shepherds Bush Green, que é uma praça de tamanho médio, com um extenso gramado, perfeito para os dias ensolarados. E tem uma quantidade de árvores suficientes para dar aconchego ao lugar! Ao redor expandem-se lojinhas com comércio diverso, além de pequenos restaurantes com comida árabe, indiana, italiana, tailandesa, etc. Os pubs também estão presentes na rua principal, com seu ambiente alegre, os chops gelados e os tira-gostos como o fish and chips (o tradicional peixe com batatas). À tardinha as casas lotam com a chegada de quem está deixando o trabalho. O público é predominantemente jovem, mas tem gente de todas as idades. Estando em Londres, uma visita a um pub é obrigatória.
Tranquilidade na vizinhança

O Westfield Shopping Center é outro grande ponto de encontro do bairro. Seu estilo moderno e amplo conta com restaurantes externos com ambientes temáticos e varandas ao redor. Lugar perfeito para refeições e encontros. O interior do shopping também conta com uma diversa praça de alimentação que vale a pena ser frequentada, além do seu rico comércio.

Em Shepherds Bush há outros pequenos shoppings, mais antigos, que também merecem atenção. Há supermercados, mercadinhos e lojas de delicatessen perfeitas para a compra de água, refeições e lanches. O bairro conta com aproximadamente dezoito linhas de ônibus e mais de uma estação de metrô, tendo acesso para a Central Line, que é perfeita para chegar rápido a quase todos os principais pontos da cidade.
Divino café do Carluccios
No entorno, se o viajante se aventurar pelas ruas secundárias, encontrará a paz e tranquilidade dos típicos bairros residenciais londrinos, com suas casinhas bonitas.

Tantas vantagens ainda incluem limpeza, segurança e gente alegre, jovem e bonita pelas ruas!

Dicas do blog: hospedagem no IBIS Shepherds Bush. Uma boa opção de café da manhã, além do hotel, é o Carluccios, anexo ao Shopping Westfield.