quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Honduras - Desembarcando em Roatán


Roatán está entre os destinos mais bonitos que visitamos nas últimas férias, a bordo do navio Freedom of the Seas, da Royal Caribbean. Seu povo é hospitaleiro, simpático e animado. Descobrimos que a ilha pertence a Honduras, país da América Central. Abrigou várias culturas indígenas importantes, principalmente os Maias. Fica localizada no mar do Caribe e a maior parte da sua população veio das vizinhas ilhas Cayman. A pesca comercial é uma das principais atividades econômicas da ilha. E o que mais nos atraiu foi descobrir que a ilha é destino certo dos mergulhadores. Como usual, fizemos pesquisas para saber um pouco sobre a ilha e traçamos um roteiro detalhado para aproveitar ao máximo o pouco tempo que teríamos desembarcados. Valeu a pena. Aproveitamos ao máximo cada recanto deste lugar incrível!

Nosso navio atracou às 12h30min com horário para zarpar às 19h. O tempo foi curto. Poderíamos ter cedido a tentação de ir a Mahogany Bay, que é bonita e fica ao lado do porto. Mas soubemos que se trata de uma praia artificial e preferimos explorar as belezas naturais da ilha. Saimos do porto para pegar um táxi logo em frente. Esta foi a forma mais rápida e prática de ir aos nossos destinos: West Bay e West End.

West End


Localizada a aproximadamente 20 quilômetros do porto. Através de estradinha tranquila, bem verde, que corta várias comunidades, chega-se nesta praia de águas cristalinas. É repleta de charme e confirma o que lemos nas pesquisas, que indicam a praia pela sua variedade de restaurantes e lojinhas coloridas a beira-mar. Parece uma praia descolada, estilo Morro de São Paulo, no Brasil. Mas é uma praia pública, o que em certos lugares no Caribe, significa pouca segurança para o turista. Não foi nosso destino final. Negociamos com o motorista do táxi para nos levar até West End para conhecer e comentar aqui no blog, antes de seguir para West Bay.

West Bay – perfeito para Snorkeling


Escolhemos West Bay como destino praia, já que as pesquisas indicavam que ali estava a melhor barreira de corais de Roatán.  O objetivo era ir para o Infinity Bay Resort, mas o motorista do táxi nos convenceu a ir a um resort ao lado pois estava com melhor preço. Não temos certeza se ele estava sendo sincero, já que muitas vezes os motoristas de táxi podem levar alguma comissão em suas indicações. Mas chegando lá confirmamos que o Infinity Bay Resort era vizinho ao nosso, ganhando um pouco em elegância. Mas o que queríamos era aluguel de cadeira, guarda-sol e uma estrutura de bar para uma provar a salva-vida (cerveja local), ducha, banheiro, etc. E o Bananarama Dive & Beach Resort tinha tudo isso arrumado, limpo e com uma boa piscina, para quem curte.

Snorkeling

O importante é que ficamos a poucos metros da barreira de corais!! A praia de West Bay é linda. Além das águas cristalinas, dos coqueiros, dos barcos de pescas ancorados e das águas mornas, os peixes valem tudo para quem gosta de mergulhar. Quem precisa snorkeling quando uma quantidade incrível de peixes vem ao seu encontro na superfície das águas? Ficamos fascinados e recomendamos  muito o lugar!

Onde fica a barreira de corais: desde o Bananarama ou Infinity Bay Resort, de frente para a praia dirija-se para a esquerda e caminhe até o canto da orla.

Preço do Bananarama Resort: 10 dólares por pessoa dando direito a cadeira de praia, guarda-sol, wi-fi e utilização da infra-estrutura do local.

Quando fomos: agosto de 2016

Curiosidade: notamos que West Bay é uma praia com acesso através dos resorts, o que a torna uma praia paga. Toda a faixa de areia é vigiada por seguranças armados. Daí ficou a dúvida se a falta de seguranças de West End a torna uma praia insegura.

Outras dicas


  • Ouvimos falar que seria bom levar dólares trocados, já que o dólar americano (US$) normalmente é aceito em toda a ilha, mas o troco geralmente é dado em Lempiras hondurenhas.
  • Pagamos 20 dólares por passageiro pela viagem de ida e volta até West End e West Bay. Me pareceu também que os motoristas são confiáveis. O nosso nos levou até o Bananarama e marcou hora para nos buscar. Só cobrou a viagem no final, quando nos deixou no porto.
  • Uma opção interessante para quem tem mais tempo na ilha é pegar um water-taxi até West End. O preço aproximado é 3 dólares. 
  • Sobre o porto: tem uma infraestrutura simples e a wifi não é boa. A vantagem é que o navio pode atracar, o que faz o passageiro ganhar tempo, sem ter que usar os barcos auxiliares.

 O que comer em Roatán: banana frita nas refeições, bolo de rum, rum, caranguejo azul, iguana (se você não tem amor ao meio-ambiente e quer infrigir a lei local – Iguanas são protegidas!). A cerveja local se chama salva vida e o drink local é o monkey lala.

Restaurantes bem cotados: em West End - The Landing (local bonito, mas porções chiquezinhas, não muito fartas), Splash Inn Restaurant (gostei especialmente das fotos dos pratos, de dar água na boca, e do local a beira mar). Em West Bay -  Beachers. Todos servem frutos do mar.

O que comprar: oferecem artesanato característico da América Central, cerâmica com cores vivas, esculturas em madeira, joias personalizadas, camisetas, charutos e roupas. Artes têxteis, artigos de vime, bordados e objetos de couro. Nada que mereça destaque.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!